Translate

Depoimentos




Texas tinha um herói, papai

Por: Amanda Scavazza


Lembro-me da minha mãe dizendo: “A Amanda lê todas as placas das ruas, quando saímos pra passear de carro”. Sei lá, mas acho que esse foi meu maior incentivo, percebia que eu sabia ler e ainda era muito nova, foi precoce meu gosto pela leitura.

Meu pai, todas as noites, sentava na beirada da cama pra contar e ler histórias antes de dormirmos. Tínhamos um único livro, contendo 365 histórias, uma para cada dia do ano. É claro, que não seguíamos a ordem, meu irmão e eu queríamos ouvir as preferidas. Até hoje, meu pai diz que a gente sempre pedia mais uma história e não dormíamos.

Ele foi meu maior exemplo, lia e lê, até hoje, Texas, um gibi de aventuras, tem uma coleção enorme. Via o encantamento que ele tinha por aquelas páginas. E quando ele percebeu que eu queria ler os gibis dele, começou a trazer a Turma da Mônica pra casa. Passávamos o final de semana lendo, um ao lado do outro, e foi assim, com Maurício de Souza e papai, que me tornei uma colecionadora de palavras.




Ainda me lembro

Por: Ana Cristina Capeli Mangerona


O meu primeiro contato com a leitura e a escrita vem de muito cedo. Sou de uma família de professoras. Mãe professora, tias professoras, irmã professora. Quando era bem pequenina, minha mãe lecionava em um sítio e eu, muitas vezes, ia com ela e ficava lá quietinha, sentadinha em uma carteira, observando e aprendendo as primeiras letras. A partir de então não parei mais, leio tudo o que vejo pela frente, desde um simples panfleto publicitário até um conto ou romance de Machado de Assis, Graciliano Ramos e muitos outros.

A leitura e a escrita me encantam e me emocionam.




Memórias

Por: Ana Maria de Moraes Togni


Minha experiência com leitura e escrita é a seguinte:

Uma vez na semana eu, meus irmãos, minha mãe e meu tio (Nego), que morava próximo, nos reuníamos em volta do fogão de lenha para ouvir "causos" de assombração, lobisomem e Pedro Malasarte contados por meu pai,  que marcaram minha infância.

Histórias essas narradas em várias noites, às vezes a mesma narrativa que davam asas a minha imaginação, fazendo-me adormecer ali mesmo.

No dia seguinte uma vaga lembrança de ter sido levada para cama nos braços de meu pai, isso me conforta imensamente.

Recentemente arrumando os livros com meu filho encontramos a coleção (Paraíso da Criança 10), onde os bichinhos da EDELBRA vivem grandes aventuras, deixando mensagens de alto valor às crianças.

E meu filho comenta a lembrança das leituras que eu fazia todas as noites para ele dormir. Notamos também que seu livro preferido encontrava-se até sem a capa, mostrando o quanto foi manuseado e lido, tornando inesquecível para nós.




Experiências de leitura

Por: Ana Mirela Lista Francisco


A minha experiência marcante com leitura e escrita se deu como professora, embora tenha muitas passagens que me marcaram como aluna na faculdade. Como de costume preparei a leitura de um conto para meus alunos do sexto ano, era o conto "Tchau" de Lygia Bojunga. Antes da leitura, levantamos as hipóteses acerca do título e iniciei a leitura compartilhada, ao longo da leitura, tanto eu, como os alunos fomos surpreendidos por uma emoção muito grande, pois o conto fala sobre uma mãe que abandonou sua família para viver um grande amor, à medida que eu avançava a leitura, as lágrimas teimavam em cair e a voz embargava, olhava para os alunos e eles estavam totalmente emocionados.

Quando encerrei a leitura, todos queriam falar, ou seja, queriam julgar a atitude daquela mãe, o pior foi constatar que muitos já haviam vivido aquele drama na vida real.

Diante do sentimento despertado, resolvi pedir-lhes que escrevessem uma carta a essa mãe, como se eles assumissem o papel dos filhos abandonados. Foi um sucesso, passei a semana lendo suas produções e me emocionando...

Todo ano leio esse conto para meus alunos, mas essa experiência foi única. Jamais me esquecerei, e tenho certeza que eles também levarão essa passagem pela vida.




Parceiras para toda a vida: a leitura, a escrita e eu

Por: Analúcia Neves


Exatamente quando me fascinei pela leitura? Já nem sei mais, faz tanto tempo...

Recordar dos primeiros livros que li, também não consigo. Só me lembro de que, na minha adolescência, saía de casa para ir à banca de jornal comprar “Sabrina”. Sim! Era assim mesmo. Não me importava o título da história, ia comprava e voltava lendo pelas ruas.  Adorava sonhar que eu era a protagonista daquelas narrativas. Lembro-me também que eu não gostava de ler os livros “impostos” por minha professora, aqueles que todos “tínhamos” que ler no colegial. Lia, mas sem o encantamento dos que eu escolhia para ler. Quando cheguei à faculdade reli todos eles, cada um dos “clássicos da literatura” (aqueles mesmos do colegial) foi então que me interessei em conhecer, de verdade, a Literatura Brasileira.  “Paixão segundo GH”  ̶ Clarice Lispector, esse está na minha memória até hoje. E olha que já faz um tempão que o li!

Com relação à literatura estrangeira, incluindo a Portuguesa, ainda estamos em faze de namoro. São tantas...  Entretanto tenho me aventurado em conhecer melhor a bibliografia dos países árabes. 

Sou adepta das narrativas românticas e também dos livros-reportagens, que são fascinantes, porém não me detenho somente a esses gêneros, leio absolutamente tudo que cai, e também que coloco, em minhas mãos. Afinal uma boa leitura nos leva até o fim do mundo, pois para “ler e escrever” não há limites!

 




 

10 comentários:

  1. Experiências marcantes! Cada leitor começa com o incentivo de alguém e, hoje, vocês incentivam. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Olá meninas do grupo 1, belos depoimentos.O meu pai não lia histórias para mim porque ele não tinha livros, morávamos no sitio, ele estudou só até a 3ª série, mas mesmo assim ele nos contava histórias que ele sabia e tinha ouvido do pai dele,era muito gostoso ouvir as histórias dele.

    ResponderExcluir
  3. Bom Dia!
    Gostei muito de participar dessa atividade, apesar de trabalhosa, está prazerosa, conhecer, conviver e partilhar novas experiências com todos.
    Obrigada.
    Professora: EE JOSÉ ALVES MIRA.
    Dois Córregos. SP. (Grupo 1 )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ufa! Que atividade desafiadora essa de criar um Blog! Mas valeu a pena. É muito importante compartilharmos nossas experiências e ideias.

      Excluir
  4. Olá meninas o blog de vocês ficou excelente,estão de parabéns,ficou muito bem ela borado.Sucesso a todas.Um abraço.

    ResponderExcluir
  5. Olá meninas o blog de vocês está lindo,parabéns e sucesso a todas.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde,Pessoal !
    Passando para deixar um abraço carinhoso a todos.
    Bom trabalho !

    ResponderExcluir
  7. Muito obrigada por cada um dos comentários!!
    Desejos muitas felicidades a todos.

    Abraço.
    Analúcia Neves.

    ResponderExcluir